Faculdade São Paulo reúne seus docentes para capacitação e troca de experiências

athenas Administração, Arquitetura e Urbanismo, Biomedicina, Ciências Contábeis, Educação Física - Licenciatura, Enfermagem, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Farmácia, Fisioterapia, Institucional, Nutrição, Odontologia

No último sábado (01 de setembro), coordenadores e professores da FSP se reuniram para capacitação sobre a metodologia ativa TBL e mapa mental e conceitual.

“Foi um momento de muito aprendizado, onde todos puderam entender e compartilhar um pouco sobre suas experiências em sala de aula e como vem aplicando as metodologias ativas”, explicou a Coordenadora Pedagógica, Osana Scalzer.

A programação iniciou com o tema Mapa Mental e Conceitual, com o desafio aos professores de “Quando e como devo utilizar essa metodologia e como aplicar em sala”, orientado pelos coordenadores Carla Taveira (Nutrição) e Davi Mattar (Engenharia Ambiental), através de atividades práticas, compartilhamento de saberes, sugestões e exemplos de situações vivenciadas em sala de aula.

Em seguida foi abordada a metodologia ativa TBL pelos coordenadores Jessica Lira (Fisioterapia) e Elessandro Leal (Odontologia). A ferramenta permite ao aluno realizar os estudos previamente em casa e ao chegar à sala ser o detentor do conhecimento. Durante a aula, o professor intermedia e encaminha as atividades do TBL, deixando claro ao aluno sua contribuição e como o mesmo irá ser avaliado. O docente também incentiva o debate entre os alunos, para que eles realizem uma reflexão sobre o tema.

“Em ambos os temas houve muita reflexão por parte dos professores e consideramos de suma importância o encontro. Priorizamos qualidade e para isso preparamos momentos como esse, em que nossos professores se sintam cada vez mais seguros e preparados. Acredito que esse momento será um divisor de águas na formação dos acadêmicos”, opina a coordenadora pedagógica.

O Diretor Paulo Jacob Strieder gostou do encontro e pretende realizar outros. “Entendemos que todos precisam passar por capacitações e compartilhar os afazeres de sala com outros docentes para buscarmos cada vez mais a qualidade do ensino superior e tornar nossa conduta enquanto educadores do ensino Superior um local onde o aluno queira fazer parte desse grupo e sentir-se pertencente a IES”, disse ele.