Área Restrita

Enfermagem da Fsp realiza Campanha em favor da luta antimanicomial

19/05/2017
Notícias
Graduação

Na última quinta-feira (18), os acadêmicos do 1º e 7º período, orientados pela professora Esp. Deize Katiele Kurtdt, realizaram uma campanha contra a exploração sexual infantil e a luta antimanicomial, que é a busca pelos direitos das pessoas com sofrimento mental.

 

No decorrer da história das sociedades humanas, já se ouviu falar de sofrimento mental de várias maneiras diferentes. O louco já foi considerado possuído pelo diabo e a loucura um castigo de Deus, preguiça de trabalhar, coisa de gente ruim, doença contagiosa e até mesmo que a pessoa ficava doente por vontade própria. Atualmente, tem-se uma visão diferente da loucura, que é destacar na pessoa em sofrimento mental seu lado saudável, suas potencialidades e capacidades, ao invés de focar apenas em suas fragilidades e limitações.

 

Essa ação aconteceu no Espaço Alternativo de Rolim de Moura, onde os acadêmicos tiveram a oportunidade de apresentar um teatro mudo sobre a depressão e o suicídio com o objetivo de enfatizar a luta antimanicomial.

 

Após as apresentações os acadêmicos participaram da caminhada em comemoração ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra crianças e adolescentes, com o objetivo de alertar e conscientizar à população da importância do combate à exploração e os meios para a realização a denúncia.

 

“Essas campanhas fazem com que os nossos alunos apliquem na prática o conhecimento aprendido e estar em contato com a população é fundamental, pois nesses momentos os acadêmicos começam a aprender a ter um perfil mais profissional ao lidar com o público” concluiu a prof. Deize Katiele.

Veja Também

02/07/2015
Institucional

Para aprender melhor é preciso usar todos os sentidos, dizem especialistas

O ser humano pode aprender de diversas maneiras. Uns acreditam ser mais visuais, ou seja, eles têm facilidade de estudar lendo e olhando imagens. Outros acham que aprendem melhor ouvindo as explicações e lendo em voz alta, os chamados auditivos. Há ainda os que se consideram cinestésicos, aqueles que aprendem por meio da percepção dos movimentos do corpo misturado aos sentidos, como tato, olfato e paladar.

24/07/2015
Institucional

Instituto cria rede social com conteúdo educativo e de gestão

Ao adotar a ferramenta mais popular dos últimos tempos, o campus de Ceilândia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB) cria rede social própria, fortalece a comunicação entre escola e comunidade e inova nas práticas educacionais. É a IFSocial, rede on-line que funciona basicamente como o conhecido facebook, mas com conteúdos educativos, informativos e também voltados para a gestão escolar.

Comentários

CAPTCHA Image
Recarregar Imagem